Bem-vindo! Nina Ateliê Festas e personalizações: um mundo colorido, cheio de personagens e fantasias! Entre em contato! ninaatelie.arte.artesanato@gmail.com
RSS

18 de abr de 2010

A importância do ensino de Arte na formação humana parte I

Por Carolina Rodrigues (nina)

Todas as áreas de conhecimento são importantes na formação humana, pois, cada uma traz para a humanidade várias contribuições. Com relação à Arte não podia ser diferente.
Segundo Barbosa (1991), “a Arte é um rio cujas águas profundas irrigam a humanidade com um saber outro que não o estritamente intelectual, e que diz respeito à interioridade de cada ser.” Ainda, segundo a autora, “uma sociedade só é desenvolvida quando ao lado de uma produção artística de alta qualidade há também uma alta capacidade de entendimento desta produção pelo público.”
A instituição pública que poderia tornar o acesso à Arte possível para a maioria dos estudantes é a escola. Se a Arte está presente em nossas vidas e de várias formas – mesmo que alguns não a admitem – e é importante fora da escola, imaginem dentro dela. Desse modo,
A Arte é importante dentro da escola porque é importante fora dela.
Por ser um conhecimento construído pelo homem através dos tempos, a arte é um patrimônio cultural da humanidade e todo ser humano tem direito ao acesso a esse saber. (MARTINS, 1998, p.13).

Muitas pessoas ainda costumam pensar que a palavra é a única forma de comunicação existente no mundo. Mas, contrário a esse pensamento, assim como aprendemos a ler as palavras, também podemos fazer leituras de imagens para melhor compreender o mundo, construir conhecimentos, aprender sobre culturas diferentes, por meio das Artes Visuais, do Teatro, da Dança, Música, enfim, das linguagens da Arte. Nesse sentido,
Pensar o Ensino de Arte é pensar na leitura e produção de uma linguagem que desconhece fronteiras, que existe em todo o mundo, quaisquer que sejam as etnias, os credos, as épocas, e que, como toda linguagem, possui seus códigos próprios, em um sistema estruturado de signos (SILVEIRA, 2006, p. 93).

Muitos têm preconceito a Arte e, conseqüentemente, não valorizam o seu ensino formal, ou seja, aquele lecionado na escola, por meio de aulas planejadas e organizadas. Neste sentido, refletimos sobre o questionamento de Martins ao dizer que:
[...] ainda é comum as aulas de arte serem confundidas com lazer, terapia, descanso das aulas ‘sérias’, o momento para fazer a decoração da escola, as festas, comemorar determinada data cívica, fazer o presente do dias dos pais, pintar o coelho da páscoa e árvore de natal (MARTINS,1998, p. 10).

O mundo está se transformando. Precisamos nos perguntar quais são as novas finalidades sociais da educação formal, qual a escola que queremos e que competências são necessárias para formar o cidadão do 3º milênio e seus professores. A Arte-Educação afeta a invenção, inovação e difusão de novas idéias e tecnologias, encorajando um ambiente institucional e inovador, cumprindo assim, com o enorme desafio da instituição escolar de integrar as técnicas de informação e comunicação ao cotidiano escolar de forma criativa, crítica e competente.
No próximo artigo “A importância do ensino de Arte na formação humana parte II” veremos outras contribuições do ensino de arte na formação de um ser humano sensível e crítico e como a Arte está presente em nosso cotidiano.

Referências Bibliográficas:

BARBOSA, Ana Mae. A imagem no Ensino de Arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo: Perspectiva /Ichope, 1991, 134 p.
MARTINS, Mirian Celeste; PICOSQUE, Gisa: GUERRA, Maria Terezinha Telles. Didática do Ensino de Arte - A língua do mundo. Poetizar fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998.
SILVEIRA, Teresa Cristina Melo da. A Arte na educação: saberes e práticas educativas em uma área de conhecimento integrado às outras. Caderno de Pedagogia, Ribeirão Preto, v. 11, n.3, p. 91-104, 2006.

0 comentários: